Destinado a mais alta missão

 

 

Mons. João S. Clá Dias

 

Redação-( Segunda-feira 12-06-2017 - GAUDIUM PRESS)  Conta-nos o Êxodo como a vitória de Josué na luta em defesa dos hebreus dependia inteiramente da oração de Moisés, o qual – afastado do combate físico, e retirado no alto da montanha santa – intercedia pelo povo junto a Deus, transformando-se assim no verdadeiro artífice do triunfo

Ao longo de 77 frutuosos anos, Mons. João Scognamiglio Clá Dias viveu em total fidelidade à Cátedra de Pedro, confirmando sua adesão ao Magistério com inumeráveis e portentosos trabalhos em prol da salvação das almas. Sobretudo, grandes foram os sofrimentos que enfrentou, com ânimo cada vez maior, oferecendo tudo para a exaltação e glória da instituição que ele tanto ama: a Santa Igreja Católica Apostólica e Romana.

Não obstante, apenas no céu conheceremos tudo aquilo que ele conquistou junto a Deus, pois, apesar de serem múltiplas as obras que tem realizado, diante de Deus o ser é muito mais do que o fazer, e nisto encontra ele seu verdadeiro mérito.

Tendo bem claro o grande crescimento e proporção atingidos pela obra nascida de suas mãos, Mons. João Scognamiglio Clá Dias, em 2 de junho de 2017, se elevou à posição de mediador junto a Deus pelos seus, ao apresentar sua renúncia aos cargos de Superior Geral da Sociedade Clerical de Vida Apostólica Virgo Flos Carmeli e de Presidente Geral da Associação Privada de fiéis Arautos do Evangelho, a fim de que um de seus filhos espirituais continue a obra por ele começada.

Contudo, mesmo não possuindo mais o título de Superior Geral, jamais caberá a outro a missão de pai e, como tal, o papel dele junto a seus filhos é insubstituível, pois foi constituído por Deus como modelo e guia deles, permanecendo o guardião deste sublime carisma, confiado a ele pelo Espírito Santo. Assim, Deus lhe reserva façanhas ainda maiores em relação às que ele já fez, e entre estas está a de impetrar ardorosamente a instauração do Reino de Maria Santíssima sobre a terra.

 

 Carta a seus filhos espirituais

 

Aos meus filhos espirituais,

 

Desde toda a Eternidade, o convívio entre Pai e o Filho, envolto nas amorosas labaredas do Espírito Santo, consistia, também em considerar todas as infinitas maravilhas que, em uníssono, a Trindade Beatíssima operaria na Obra da Criação. Diante de toda a glória e esplendor que as Três Pessoas Divinas derramariam sobre suas criaturas, o brilho de seu incomensurável amor reluzia ainda mais.

Porém, aos olhos do Verbo Eterno, pouco, ou quase nada, aquilo valia. O caminho mais glorioso era aquele reservado por Deus à Segunda Pessoa da Santíssima Trindade: "Ele esvazio-se de sua glória, fazendo-se aos homens semelhante. Humilhou-se a si mesmo até a morte, e morte de Cruz."

No transcurso de sua vida terrena, o Verbo Encarnado não fez senão mostrar à humanidade que a via mais luminosa, e a única que conduz à verdadeira glória, é a via da abnegação e do sofrimento bem aceito. "Se alguém quer ser meu discípulo, negue-se a si mesmo, tome sua Cruz e siga-me".

Assim, considerando meus setenta e sete anos, sessenta deles de labor e sofrimento ao serviço da Santa Igreja Católica, tendo em vista claramente toda a envergadura e prodigioso crescimento desta Obra, nascida de minhas mãos, e sabendo que diante de Deus o ser é muito mais do que o fazer; depois de muito rezar, pareceu-me mais justo aos olhos de Deus e de Maria Santíssima renunciar a meu cargo de Superior Geral, a fim de que um filho meu, sob a ação do Espírito Santo, possa conduzir essa Obra àquela perfeição desejada por Nossa Senhora, tal como Ela imprimiu na alma do Fundador.

Ao deixar este encargo, não posso -- nem desejaria -- diante de Deus, renunciar à minha missão de pai. Faço à Trindade Santíssima, por meio de minha Senhora e Mãe, a Virgem Maria, o firme propósito de continuar a interceder junto a Deus, com minhas súplicas e preces, por meus filhos e filhas. Continuarei à disposição de todos e cada um, por saber-me constituído por Deus como modelo e guardião vivo desse carisma, confiado a mim pelo Espírito Santo.

Rogo a todos que continuem rezando por mim e por esta Obra, a fim de que todo o projeto de Deus a nosso respeito atinja todo o esplendor, para sua glória e da Santa Igreja, a fim de que seja instaurada na terra a plena união com o Céus, o Reino de Maria Santíssima.

Caieiras, 2 de junho de 2017

Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP

 

Superior Geral