O que faz a Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da CNBB?

 

Brasília (Quinta-feira, 17-08-2017, Gaudium Press) A CNBB por meio da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé - que passou a ter este nome a partir do Concílio Vaticano II, a pedido da própria Santa Sé -, tem a função de assessorar o episcopado brasileiro em algumas questões doutrinais. Além disso, trabalha com as questões de fé e da moral dentro da Conferência a partir de alguns problemas que possam surgir através do processo de evangelização.

De acordo com o bispo de Santo André (SP) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé, Dom Pedro Carlos Cipollini, "as atribuições da comissão são promover a fidelidade à doutrina da Igreja, a integridade na sua transmissão, a inteligência da fé, o seu testemunho ante os desafios atuais e, sobretudo, assistir a CNBB no exercício do magistério doutrinal".

Composta por cinco bispos e 19 peritos nas várias áreas e disciplinas da teologia como bíblia, moral, sistemática e dogmática, a comissão também presta assessorias analisando alguns textos litúrgicos e escritos relacionados à fé.

Para o cumprimento de sua missão e de suas atribuições, conta com a colaboração do Grupo Interdisciplinar de Peritos (GIP) e do Grupo de Peritos em Bíblia (GPB).

Ainda segundo o presidente da comissão, a fé é o tesouro da Igreja que precisa ser custodiada e, sendo assim, é necessário que exista uma comissão que tenha como tarefa ajudar a crescer na fidelidade. " É uma comissão que ajuda a caminhar, não é para engessar, mas é um corrimão que apoia quem caminha".

Além de Dom Pedro Carlos Cipollini, que exerce a presidência, a comissão é composta pelos bispos Dom Leomar Antônio Brustolin, Dom João Santos Cardoso, Dom Waldemar Passini Dalbello, Dom Marcos Marian Piatek e o Monsenhor Antonio Luiz Catelan Ferreira, que atua como assessor. (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações CNBB