Cardeal Rocha faz apontamentos sobre o Ano Nacional Mariano

 

Aparecida - São Paulo (Quarta-feira, 11-10-2017, Gaudium Press) O Cardeal Sergio da Rocha, presidente da CNBB, participou de vários momentos da programação da Festa de Nossa Senhora Aparecida no Santuário Nacional.

 Cardeal Rocha faz apontamentos sobre o Ano Nacional Mariano.jpg
Cardeal Sérgio da Rocha | Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Dentre os festejos na Casa da Mãe Aparecida, inclui-se o encerramento do Ano Nacional Mariano instituído pela Conferência para preparar o jubileu dos 300 anos do encontro da Imagem da Virgem Santíssima nas águas do Rio Paraíba do Sul, em São Paulo.

Na manhã desta quarta-feira, 11 de outubro, o Arcebispo de Brasília esteve presente em uma celebração no Santuário Nacional. Antes, realizou um balanço do Ano Mariano, no qual mencionou os resultados obtidos durante a caminhada feita pelas comunidades em todo o Brasil que se mobilizaram para celebrar o tricentenário da Padroeira do Brasil.

"Houve maior conhecimento e divulgação da história do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida e as suas implicações para a nossa vida, hoje. A recordação dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida ajudou a refletir sobre os sinais de Deus na nossa vida. Num momento de aflição, em que três pescadores necessitavam conseguir rapidamente uma pesca abundante, eles foram surpreendidos pela manifestação do amor de Deus, através de um sinal aparentemente simples e pequeno, a imagem de Nossa Senhora da Conceição, que eles guardaram piedosamente e passaram a venerar".

Em seguida, lembrou que "a recordação dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida ajudou a refletir sobre os sinais de Deus na nossa vida".

Para o Cardeal Rocha, "o Ano Mariano foi um tempo forte de oração e celebração. As celebrações marianas, ao longo do ano litúrgico foram mais valorizadas. O Ano Mariano tornou-se ocasião especial de ação de graças a Deus por Maria, com Maria e como ela fez. É importante, prolongar a vivência do Ano Mariano: valorizando o Magnificat, rezando com coração e os lábios de Maria Imaculada, Senhora Aparecida; com o rosário, contemplando a Jesus com os olhos de Maria".

"Aconteceram muitas iniciativas que possibilitaram conhecer melhor Nossa Senhora, redescobrindo o retrato de Maria que se encontra nos Evangelhos e no ensinamento da Igreja. Foram palestras, encontros, cursos, artigos, que muito têm ajudado a cultivar uma autêntica devoção mariana, segundo os ensinamentos da Igreja", ressaltou.

Ainda segundo o purpurado, "é importante, prolongar a vivência do Ano Mariano: valorizando o Magnificat, rezando com coração e os lábios de Maria Imaculada, Senhora Aparecida".

Também foi mencionado pelo Arcebispo de Brasília o fato de que "tiveram lugar especial no Ano Mariano as peregrinações ao Santuário Nacional de Aparecida ou às igrejas dedicadas a Nossa Senhora Aparecida; demonstraram a alegria dos filhos por visitar a própria Mãe. Além disso, a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida às Dioceses teve especial importância na animação da fé das pessoas e da vida das comunidades, mostrando a Mãe visitando os seus filhos. A visita da imagem às Dioceses mostrou o grande amor e devoção de nosso povo à Padroeira, trazendo esperança e paz para tanta gente sofrida".

Por fim, destacou: "o fruto maior que esperamos que continue a se multiplicar tem sido aprender com Maria a seguir Jesus Cristo, a crescer na fé em Cristo, como verdadeiros discípulos missionários, participando da vida das nossas comunidades e servindo os irmãos mais sofredores. Assim como Nossa Senhora. Aparecida veio ao encontro dos humildes pescadores, num momento de grande aflição, possamos sair ao encontro dos que mais sofrem para compartilhar com todos a alegria do Evangelho". (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações CNBB