Congresso Missionário Redentorista em Aparecida discute a "Igreja em Saída"

 

Redação (Sexta-feira, 12-01-2017, Gaudium Press) O pedido do Papa Francisco para uma "Igreja em Saída" é inspiração para a realização do Congresso Missionário Redentorista, que ocorre no final deste mês, em Aparecida.

Segundo o Missionário Redentorista, Padre Sebastião Reis, "esta frase do Papa ‘Igreja em Saída' será bem vinda para o Congresso Missionário". "Ela (a frase) será paradigma para iluminar os temas que estaremos refletindo no congresso e na realização da nossa missão Redentorista", indica o religioso, que é membro do Conselho Missionário.

O evento ocorrerá entre os dias 29 de janeiro e 2 de fevereiro, no Seminário Santo Afonso, e é uma promoção da União dos Redentoristas do Brasil (URB). Mais de 80 religiosos vindos das nove Unidades Redentoristas do Brasil e também da América Latina devem comparecer ao evento.

A programação do congresso contempla temas relacionados à Identidade Redentorista e Missiologia, além de momentos de confraternização e partilha entre os participantes.

Outro assunto que servirá para as reflexões dos missionários envolve os rumos da Congregação após a realização do Capítulo Geral em 2016. O tema, que será assessorado pelo Padre Joaquim Parron, pretende possibilitar reflexões sobre o processo de reestruturação em vista da missão.

Ao comentar o convite do Santo Padre para uma "Igreja em Saída", o Padre Sebastião Reis reforçou que esta é uma das principais indicações para o Congresso. "Olhando a figura e o discurso do nosso Papa Francisco desde a sua tomada de posse, o seu convite para uma ‘Igreja em saída' é para toda Igreja dos batizados; que assumam o seu ministério batismal como discípulo (a) missionário (a) nesta realidade exigente e desafiadora", explicou.

Ainda conforme o sacerdote, "estamos mergulhados nesta pós-modernidade ou modernidade líquida, defendida pelo saudoso sociólogo polonês Zygmunt Bauman, geradora de stress social com reflexos na pastoral de uma Igreja que quer ser a resposta e a esperança para as aspirações deste nosso mundo ferido".
Todo este processo de evangelização da missão Redentorista, prosseguiu, "é para ajudar a Igreja a ter um faro, um jeito missionário que ainda não tem", uma vez que "a missão Redentorista representa uma resposta à uma urgência de Igreja, a partir do documento 100 da CNBB e um novo Kairós na paróquia missionada".

"Estamos vivendo um processo de reestruturação na Congregação do Santíssimo Redentor, especialmente na Província de São Paulo, utilizando o método ‘ver, julgar e agir'. No momento estamos iniciando o método ‘agir' em nossas frentes de pastorais, envolvendo a província de São Paulo, na missão popular Redentorista, com as recomendações do Capitulo Provincial 2017", acrescentou o Padre Sebastião, ao responder acerca do "espírito de reestruturação" destacado no último Capítulo Geral.

"Nesta perspectiva, este Congresso Missionário, nas reflexões dos temas escolhidos, estará atento às decisões do Capitulo Geral nesta sintonia de buscar uma resposta para os desafios atuais dentro da Congregação do Santíssimo Redentor e na Igreja. Na realização da missão Redentorista, encarnar o espírito da ‘Igreja em saída' como motivação maior para a realização das Missões em comunhão com o atual momento eclesial em que vivemos", concluiu o Padre Sebastião. (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações A12