Tráfico humano: Francisco pede a conversão dos traficantes

 

Cidade do Vaticano (Quinta-feira, 08-02-2018, Gaudium Press) Na última Audiência Geral, (07/02), o Papa fez um apelo contra o tráfico humano e recordou a memória de Santa Josefina Bakhita, comemorada nesta quinta-feira, 8 de fevereiro, ocasião em que se celebra também o Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico Humano.

08-02-2018 Tráfico humano, Francisco pede a conversão dos traficantes.jpg

Para este ano, o tema escolhido por Francisco foi: "Migração sem Tráfico. Sim à liberdade! Não ao Tráfico! ".

O Papa Francisco afirmou na Audiência que, diante das poucas possibilidades de canais regulares, muitos migrantes decidem aventurar-se por outras vias e são caminhos onde, com frequência os aguardam abusos de todo tipo, exploração e escravidão.

Francisco recordou que as organizações criminosas que se dedicam ao tráfico de pessoas, usam essas rotas migratórias para esconder as próprias vítimas entre os migrantes e os refugiados:

"Portanto, convido todos, cidadãos e instituições, a unir as forças para prevenir o tráfico e garantir proteção e assistência às vítimas. Rezemos para que o Senhor converta o coração dos traficantes - que palavra feia 'traficante de pessoa' - e dê esperança de reconquistar a liberdade a quem sofre por esta chaga vergonhosa."

Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico Humano

O Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico Humano foi celebrada pela primeira vez em 8 de fevereiro de 2015, sugerido pelo Papa Francisco.

A União Internacional das Superioras e dos Superiores Gerais foi encarregada de promover este evento.
Desde o início o Talitha Kum, a rede mundial da vida consagrada que luta contra o tráfico de pessoas, assumiu a coordenação do evento.

Santa Bakhita

Santa Josefina Bakhita nasceu 1869 em Darfur, no Sudão. Ela é mais conhecida como "Mãe Moretta" (nossa Mãe Morena), trazia em seu corpo 144 cicatrizes marcadas ao longo de sua vida e que foram recebidas depois de seu sequestro aos nove anos e vendida como escrava.
Santa Bakhita morreu em 8 de fevereiro de 1947 na Itália. Foi canonizada por São João Paulo II, em 1º de outubro de 2000. (JSG)
(Da Redação Gaudium Press, com informações Vatican News)