Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor completam 148 anos de fundação

 

Redação (Quinta-feira, 08-02-2018, Gaudium Press) A Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor completou no início deste mês de fevereiro 148 anos de sua fundação. A Missão da ordem religiosa é a de acolher, instruir, orientar, informar as mulheres que se encontram dentro do contexto da prostituição.

Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor completam 148 anos de fundação.jpg
Padre José Maria Benito Serra e Irmã Antonia Maria de Oviedo.

No ano de 1864 o Padre José Maria Benito Serra estava atendendo pessoas internadas no hospital São João de Deus, localizado na cidade espanhola de Madri. Lá o sacerdote encontrou várias mulheres vítimas de doenças sexualmente transmissíveis adquiridas durante a prática da prostituição.

Ao escutar essas mulheres, o Padre Serra conheceu de perto a dura realidade na qual elas passavam de exploração e falta de oportunidades. Foi então que tomou a decisão de abrir uma casa que servisse de abrigo para acolher essas mulheres, e onde elas pudessem encontrar novas oportunidades.

O sacerdote convidou Antonia Maria de Oviedo, que havia manifestado seu desejo de doar a vida em uma missão e possuía muitas habilidades que contribuiriam para o crescimento da ordem, para que levasse adiante este projeto. No dia 1º de junho de 1864 foi inaugurada a primeira casa para acolher mulheres. O objetivo era claro: acolher qualquer mulher, independente de país, cidade, idade, condição e saúde.

Em 1935 a Congregação das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor chegou ao Brasil. Atualmente a missão é desenvolvida em quatro projetos: Pastoral da mulher (Juazeiro da Bahia); Diálogos pela Liberdade (Belo Horizonte); Força Feminina (Salvador); e Projeto Antonia (São Paulo). (EPC)