Tanzânia celebra 150 anos de evangelização

 

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 09-02-2018, Gaudium PressA Tanzânia completa 150 anos de Evangelização. A este propósito, foi apresentado ainda há poucos dias o programa das celebrações pelos 150 anos da evangelização deste país africano.

09-02-2018Tanzânia celebra 150 anos de evangelização.jpg

Comemorações cheias de religiosidade

Na ocasião, os bispos do país decidiram estabelecer um programa mais voltado para a espiritualidade: vai ser organizado a cada três anos um Congresso Eucarístico, sendo que o próximo congresso será em Zanzibar. Além do Congresso Eucarístico os Bispos pretendem organizar em cada diocese capelas onde se faça Adoração Eucarística Perpétua.

O objetivo é fortalecer a fé e a proximidade dos fiéis com a Eucaristia, sobretudo entre as famílias:
"Sem a Santa Eucaristia -sublinhou o arcebispo de Dar-es-Salaam, cardeal Polycarp Pengo- não existe vida nas famílias".

Assim, ficou estabelecido que cada paróquia da Tanzânia deverá organizar um momento de adoração pública durante a semana, envolvendo em particular as famílias.

Bagamoyo: Porta de entrada

As celebrações por ocasião dos 150 anos de presença cristã no país se desenvolverão em Bagamoyo. Ali desembarcaram os primeiros missionários católicos em 1868.
.
O arcebispo emérito de Arusha, Dom Josaphat Louis Lebulu recorda que "Bagamoyo, é simplesmente o local de reflexão da fé, enquanto ponto de entrada do cristianismo na parte oriental da África e fonte de esperança para os tanzanianos que foram torturados e tratados como escravos antes de serem deportados atravessando o Oceano Índico".

Celebramos, portanto, a grande obra de evangelização realizada pelos missionários que chegaram à Tanzânia em 1868.

E o Bispo acrescentou: "Aqui fixaram a santa cruz, símbolo da redenção da escravidão e símbolo de fé para nós tanzanianos", Bagamoyo é a porta da Palavra de Deus.

O prelado, ademais, recordou que precisamente Bagamoyo foi a porta por meio da qual eram deportados os africanos como escravos, "uma porta do tráfico da escravidão. Este local revelou-se ser a porta da Palavra de Deus, luz, paz, esperança e amor e foi o início da difusão do cristianismo na África oriental".

Concluindo, Dom Lebulu disse: "Bagamoyo é, portanto, um símbolo de redenção, um local em que o homem recebeu a oportunidade de crescer na fé e obter a esperança. Bagamoyo é fonte de verdadeira liberdade, porta de fé, cidade da luz". (JSG)

(Da Redação Gaudium Press, com informações L'Osservatore Romano)