Pesquisa nos EUA mostra que o 'homeschooling' é um celeiro vocacional

 

Estados Unidos - Washington (Quinta-feira, 12-04-2018, Gaudium Press) Dados interessantes foram apresentados pelo 'Center for Applied Research in the Apostolate' (CARA), da Universidade de Georgetown, Estados Unidos, que evidenciaram que o 'homeschooling', isto é, a educação a partir de casa, se converteu em um importante celeiro vocacional.

Pesquisa nos EUA mostra que o 'homeschooling' é um celeiro vocacional.jpg

De acordo com o estudo, realizado em 2017, os homens jovens educados em casa, no seio de uma família católica, tem quatro vezes mais probabilidades de ingressar no seminário, que aqueles que assistiram a instituições educativas católicas.

Os dados revelam que 8% dos seminaristas que estão próximos de serem ordenados receberam educação sob a modalidade de 'homeschooling' durante uma média de 7 anos, e que o discernimento vocacional ocorreu aproximadamente aos 16 anos de idade.

Segundo Draper Warren, diretor de admissões em 'Seton Home Study Shool' de Front Royal, Virginia -'homeschooling' católico creditado nos EUA-, comparando os dados com os aproximadamente 100 mil estudantes que se educam em lares católicos diante dos 2 milhões que se formam em colégios católicos, a cifra "é muito alentadora, e no futuro o impacto poderia ser enorme".

Warren também assinala que esta informação é ocasião para reconhecer a influência positiva que tem o movimento do 'homeschooling' católico nas vocações religiosas.

"Aos poucos não entendemos a importância histórica de um movimento quando ainda é jovem, mas em uma geração olharemos para trás e veremos como o 'homeschooling' católico é parte responsável por manter a Igreja vibrante nos Estados Unidos. As vocações são apenas um dos muitos frutos da educação no lar", indicou.

Os dados da pesquisa também foram confirmados pelo Padre J.D. Jaffe, diretor de vocações da Diocese de Arlington, que revela: "Os que são educados no lar tem uma participação desproporcionadamente maior em nossos eventos de discernimento em comparação com os provenientes das escolas católicas e as escolas públicas".

O sacerdote ainda confirma: "O mesmo aumento no número se observa em nossos seminaristas, onde aproximadamente 30% deles foram ensinados no lar".

E é que, como mostrou a pesquisa, os anos de Secundário são chave para o discernimento vocacional, pelo que o ambiente onde os adolescentes e jovens são formados se converte em um elemento importante de influência. Por esta razão, a educação em casa parece contribuir de forma positiva no processo de discernimento. (EPC)