Arcebispo americano convida universitários à santidade e ao heroísmo

 

Estados Unidos - Los Angeles (Quarta-feira, 16-05-2018, Gaudium Press) O Arcebispo de Los Angeles, Estados Unidos, Dom José Gomez, ofereceu uma mensagem para mais de 1.600 graduandos da Universidade Católica da América no dia 12 de maio, na qual recordou a participação de São Junípero Serra na fundação dos Estados Unidos e convidou aos presentes para renovar a história do país e dar-lhe um novo sentido, necessário para o seu desenvolvimento.

Arcebispo americano convida universitários à santidade e ao heroísmo.jpg

"A América perdeu o seu caminho porque perdemos os fios da nossa história nacional. Não sabemos quem somos como povo ou qual é o nosso propósito nacional", lamentou o prelado, segundo informou CNS. "Eu digo que este é o nosso maior desafio, porque ao menos que saibamos quem somos e para que estamos aqui, nunca seremos capazes de determinar as prioridades certas ou encontrar as soluções corretas para os muitos desafios que enfrentamos".

Recordando a participação de São Junípero Serra como um dos fundadores da América, o Arcebispo convidou os formandos a proclamarem uma nova história americana destacada por sua "santidade e heroísmo". "Necessitamos de uma nova narrativa que nos defina e que nos mantenha unidos como um povo com um propósito comum". Dom Gómez propôs que o espírito do país está vivo em seus santos e recordou o testemunho de numerosos americanos que viveram vidas virtuosas e cujos processos de beatificação estão ativos.

O Arcebispo recordou que os Santos surgem da vida cotidiana em ambientes como bairros, paróquias e famílias: "Eles são os Santos escondidos, Santos de todos os dias, Santas esposas, Santos esposos, trabalhando duro para fazer o que é correto, sacrificando-se por seus filhos, sendo bons amigos e bons vizinhos, que servem aos pobres e trabalham para fortalecer suas comunidades". Um desses fiéis destacados foi a Madre Luisa Josefa do Santíssimo Sacramento, que teve que se refugiar da perseguição anti-católica no México e se converteu em uma religiosa e servente dos pobres em Los Angeles, Estados Unidos. Esta religiosa costumava repetir: "Fomos feitos para coisas maiores".

"Minha oração por vocês é para que escrevam uma história que esteja cheia de bondade, amor e serviço; com oração e ação de graças pelos dons simples. Eu rezo para que vocês sempre procurem conhecer o que é certo e tenham a coragem de fazê-lo", expressou. "Nós ainda podemos abrir a porta com confiança para as pessoas que estão lutando para respirar minha liberdade, ainda podemos praticar a política sem malícia contra ninguém e com qualidade para tudo o que temos feito para gravar as coisas, mas fomos feitos para coisas maiores", concluiu. (EPC)