Reitor do Santuário de Fátima presidiu Missa da Peregrinação Mensal

 

Fátima - Portugal (Quarta-feira, 13-03-2019, Gaudium PressPadre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, em Portugal, presidiu neste 13 de março a Missa da peregrinação mensal que, tradicionalmente é realizada por fiéis devotos de Nossa Senhora de Fátima a cada dia 13.

Reitor do Santuário de Fátima presidiu Missa da peregrinação mensal .jpg

A recitação do Rosário, na Capelinha das Aparições, deu início às celebrações da Peregrinação.

Dela participaram peregrinos oriundos de Portugal, Espanha, Itália, França, Polónia, Eslováquia, Brasil e Estados Unidos, que integraram a procissão que antecedeu a Missa votiva de Nossa Senhora de Fátima, celebrada, depois, na Basílica da Santíssima Trindade.

Desafio para a Quaresma

Estando em tempo de Quaresma, o reitor do Santuário desafiou os peregrinos a acolher Nossa Senhora nas suas vidas, aceitando o apelo de conversão que a Virgem fez em suas aparições na Cova da Iria.

A partir do Evangelho de João, no qual Jesus, no derradeiro momento da cruz, apresenta Maria como Mãe da Igreja, o reitor do Santuário descreveu as Aparições de Nossa Senhora em Fátima como manifestação "deste cuidado e conforto materno de Maria por cada um de nós", exortando os peregrinos a "acolher Maria nas suas vidas", com vista à conversão, no tempo da Quaresma.

Acolher o veemente apelo à conversão

"Sabemos que fomos confiados aos cuidados maternos de Maria, mas, por outro lado, Jesus tem o cuidado de nos dizer que somos convidados a receber Maria em nossa casa, imitando-A nas suas atitudes, acolhendo as Suas palavras. Neste tempo da Quaresma, recebê-La como discípulos significa acolher o veemente apelo à conversão que, aqui em Fátima, Ela nos veio trazer", disse Padre Carlos.

Centrando-se no apelo à conversão presente na Mensagem de Fátima ele evocou o compromisso que São Francisco Marto assumiu no sentido de "não entristecer a Deus com pecados", dando-o como exemplo prático de conversão quaresmal.

Pedagogia de Conversão

Por fim, o padre Carlos Cabecinhas enunciou, para este tempo de Quaresma, três caminhos que a Tradição da Igreja fixou como "pedagogia de conversão": a oração, que é "insistentemente" pedida nas Aparições de Fátima; as práticas de penitência, "tão presentes nas vidas dos Pastorinhos, nos sacrifícios que faziam em reparação a Deus"; e o amor ao próximo, também "testemunhado pelos Videntes, numa atenção especial aos que sofriam".

Receber Maria em nossa Casa

"Receber Maria em nossa casa significa aceitar seguir este veemente apelo à conversão que Ela nos indica, na Mensagem de Fátima, percorrendo estes três caminhos que a Igreja nos oferece", concluiu o sacerdote, exortando os peregrinos a "fazer crescer a confiança em Maria como refúgio" e a assumir o compromisso de acolher nas suas vidas, para uma melhor vivência da Quaresma". (JSG)

(Com informações do Site Oficial do Santuário de Fátima)