Novo Presidente da CNBB celebra missa de encerramento da 57ª Assembleia Geral

 

Aparecida do Norte - SP (Sexta-feira, 10-05-2019, Gaudium Press) O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente eleito da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidiu a Santa Missa de enceramento da 57ª Assembleia Geral da entidade episcopal, nesta sexta-feira, 10/05, no Santuário Nacional em Aparecida (SP).

Dom-Walmor-encerramento-missa foto CNBB.jpg

Saudações

Dom Walmor iniciou sua homilia recordando o Pap Francisco:

"Queremos que chegue ao coração do Santo Padre o quanto nós, bispos do Brasil, a nossa Conferência e todo amado povo de Deus, que tanto o ama, da nossa profunda comunhão neste caminho missionário", disse.

O novo Presidente saudou também e pediu ao povo uma salva de palmas aos bispos que estiveram à frente da Presidência da CNBB no último quadriênio.

E dirigiu-se ainda aos novos membros da direção da CNBB: "quero saudar de modo muito especial aos irmãos que compõem agora a Presidência nessa nossa tarefa missionária, mas também muito amorosa de continuarmos esse caminho bonito, na importância grande, incontestável de credibilidade da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil"

Reflexão

Refletindo sobre as leituras propostas pela liturgia para o dia de hoje, o arcebispo, relembrou a trajetória missionária do apóstolo Paulo narrada na leitura do livro do Atos dos Apóstolos, que destaca as três grandes viagens missionárias, os desafios enfrentados, as perseguições que foram vencidos e superados em nome de Deus.

"Se quisermos dar ao nosso humano trabalho a força que ele precisa, se quisermos ter a força para estarmos de pé para não nos faltar a sabedoria, não nos deixar pender em polarização alguma, é preciso cultivar essa profunda intimidade com Ele [Jesus].

Esse é o nosso caminho, não há outro.

Esse é o serviço que queremos prestar para que todos os outros serviços que prestarmos se desbordem na verdade do amor, na promoção da justiça e na alegria de sermos irmãos e irmãs uns dos outros.

Essa é a lógica que somos chamados a aprender, a lógica que o apóstolo Paulo aprendeu e, por isso, se tornou essa grande referência", ressaltou.

Pedido

Antes de encerrar sua homilia, Dom Walmor rogou a Deus que o trabalho na CNBB seja o ponto de encontro da colegialidade que é o voltar em primeiro a Ele, Cristo e cultivar a partir Dele a alegria do respeito fraterno, do respeito das diferenças fazendo delas uma grande riqueza. (JSG)