Terroristas Islâmicos atacam igreja durante missa do Domingo do Bom Pastor, em Burkina Fasso

 

Uagadugu - Burkina Fasso (Segunda-feira, 13-05-2019, Gaudium Press) Neste domingo, dia 12 de maio, Dia do Bom Pastor, quando em muitos países celebrava-se o Dia das Mães, a Missa mal tinha sido iniciada na Paróquia do Beato Isidoro Bakania, em Dablo, no norte de Burkina Fasso, quando mais um ataque terrorista foi realizado por um grupo jihadista de fanáticos muçulmanos.

Terroristas Islâmicos atacam igreja durante missa do Domingo do Bom Pastor, em Burkina Fasso-Foto Arquivo Gaudium Press.jpg

Fontes locais afirmaram que um comando terrorista composto por cerca de 20 jihadistas, utilizando motocicletas, cercou a igreja. O ataque tinha como objetivo o Padre Siméon Yampa, de 34 anos, que, estranhamente, é o encarregado do diálogo inter-religioso em sua diocese.

Durante o ataque à Igreja, alguns fiéis ali presentes tentaram fugir e foram perseguidos por membros do grupo terrorista islâmico que atiravam contra eles.

Enquanto isso, dentro da Igreja paroquial, os fanáticos obrigaram todos a se deitarem no solo. Foram escolhidos aleatoriamente cinco dentre os presentes que foram mortos impiedosamente, a sangue frio.

Igreja Incendiada: Pânico

O prefeito de Dablo, Ousmane Zongo, informou que os terroristas jihadistas "incendiaram a igreja para, depois, assaltar um ambulatório e também incendiá-lo". 

A cidade entrou em pânico e tudo parou, as pessoas trancaram-se em suas casas.

Foram enviados militares de Barsalogho, cidade vizinha a 45 quilômetros, que permaneceram em Dablo durante todo o dia.

Os atentados dos jihadistas na região de Sahel já causaram 350 mortes.

Desde 2014, a França convocou 4.500 militares na zona do Sahel, dentro do programa de operações anti-jihadistas Narkhane - em colaboração com os países do G5 Sahel, composto por Burkina Fasso, Chade, Mali, Mauritânia e Níger.

Mas, até agora, as forças de segurança não conseguiram chegar até os chefes terroristas de organizações como Ansaroul Islã, o Estado islâmico do grande Sahara, o grupo de apoio ao islã e aos muçulmanos, que desde 2015, apenas em Burkina Fasso, causaram pelo menos 350 mortes.

Papa Lamenta

No Vaticano, o diretor interino da Sala de Imprensa da Santa Sé, Alessandro Gisotti, a propósito do atentado ocorrido em Dablo, na manhã de domingo, 12 de maio, afirmou que o "Papa Francisco recebeu com dor a notícia do ataque à igreja de Dablo, em Burkina Fasso. Ele reza pelas vítimas, seus familiares e por toda a comunidade cristã do país", assim referiu a respeito do atentado ocorrido em Dablo, na manhã do domingo, 12 de maio.

Segundo o porta-voz vaticano, em um tweet, o Papa Francisco expressou sua dor pelo ataque dos jihadistas que, novamente escolheram o domingo para semear terror e massacrar os fiéis durante uma Missa: Em Burkina Fasso os terroristas islâmicos massacraram um sacerdote e cinco fiéis durante a celebração da missa matinal e depois incendiaram o edifício. (JSG)