Igreja em Pernambuco celebra 400 anos de devoção a Nossa Senhora dos Prazeres

 

Pernambuco - Recife (Terça-feira, 10-09-2019, Gaudium Press) Na manhã do último domingo, 08, o Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, presidiu uma Santa Missa na Paróquia de Nossa Senhora dos Prazeres, no bairro Maranguape 2.

Igreja em Pernambuco celebra 400 anos de devoção a Nossa Senhora dos Prazeres 1.jpg

A celebração Eucarística Solene ocorreu por conta do encerramento da festa de Nossa Senhora dos Prazeres dos Maranguapes, padroeira do município do Paulista, região metropolitana do Recife e pelos 400 anos de devoção à Mãe das Alegrias.

A festa da padroeira foi festejada pela comunidade local desde o dia 30 de agosto, seguindo o tema: "Somos Igreja Peregrina, com a Senhora dos Prazeres, alegre pelos 400 anos de história".

Igreja em Pernambuco celebra 400 anos de devoção a Nossa Senhora dos Prazeres 2.jpg

Durante a homilia, Dom Fernando refletiu sobre as sete alegrias de Nossa Senhora, recordando que Maria nos ensina o valor do serviço e da obediência à Palavra de Deus. O prelado comentou ainda sobre a experiência da comunidade de Maraguape 2, que há quatro séculos cultiva a devoção por Nossa Senhora e manifestou seu desejo de que a comunidade siga unida. Por fim, o Arcebispo explicou que Nossa Senhora, com sua humildade de serva e disponibilidade missionária, apesar de todas as dificuldades da época, foi ao encontro de sua prima Isabel.

Em suas breves palavras, o Pároco Padre Charles de Araújo agradeceu aos fiéis presentes pelo empenho e dedicação ao longo dos nos dez dias de festa, afirmando que é um grande presente a paróquia e a cidade do Paulista terem Nossa Senhora dos Prazeres dos Maranguapes como padroeira e rainha.

Igreja em Pernambuco celebra 400 anos de devoção a Nossa Senhora dos Prazeres 3.jpg

Ao término da celebração, foram feitas algumas homenagens a pessoas que colaboram para a realização da festa da padroeira e foi lida uma retrospectiva da história da antiga matriz de Nossa Senhora dos Prazeres dos Maranguapes, criada no ano de 1681 e que infelizmente, encontra-se em ruínas. (EPC)