“Existe risco de um cisma na Igreja”, diz Papa em entrevista

 

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 11-09-2019, Gaudium Press) Na volta da quarta viagem de seu pontificado à África, durante o voo que o trouxe de regresso a Roma, o Papa Francisco admitiu aos jornalistas que o acompanharam que existe o risco de um "cisma" na Igreja Católica. E lamentou o comportamento de algumas pessoas que, segundo o Pontífice, o "apunhalam pelas costas".

Existe risco de um cisma na Igreja, diz Papa em entrevista-Foto VaticanNews.jpeg

Francisco afirmou:
"Sempre existe a opção cismática na Igreja, sempre, é uma das opções que o Senhor deixa à liberdade humana.
Eu não tenho medo de cismas, rezo para que não existam, porque está em jogo a saúde espiritual de tantas pessoas.
Que exista o diálogo, que exista a correção se houver algum erro, mas o caminho do cisma não é cristão", disse aos jornalistas,

Críticas ao pontificado de Francisco

Em suas declarações aos jornalistas, Francisco procurou destacar que as críticas ao seu pontificado não se limitam a setores católicos norte-americanos, mas "existem um pouco por toda a parte, mesmo na Cúria" Romana.

Para o Pontífice, "Fazer uma crítica sem querer ouvir a resposta e sem fazer o diálogo é não amar a Igreja, é seguir atrás de uma ideia fixa, mudar o Papa ou criar um cisma".

O que é um Cisma, segundo Francisco

De acordo com a definição de Francisco, um cisma "é sempre uma separação elitista provocada por uma ideologia separada da doutrina".

O Pontífice afirma que "Eles dizem: o Papa é comunista ... Entram as ideologias na doutrina e quando a doutrina escorrega nas ideologias, ali há a possibilidade de um cisma.

Há a ideologia da primazia de uma moral asséptica sobre a moral do povo de Deus", conceituou. (JSG)