Para o Papa, encontro com Cristo nos pobres fortalece a fé

 

Cidade do Vaticano (Quinta-feira, 07-11-2017, Gaudium Press) Na manhã de hoje, 07/11, o Papa Francisco recebeu os participantes do Encontro do Secretariado de Justiça Social e Ecologia, da Companhia de Jesus.

Para o Papa, encontro com Cristo nos pobres fortalece a fé-Foto Arquivo GaudiumPress.jpg

Os jesuítas estão reunidos em Roma por ocasião dos 50 anos que esta obra foi fundada pelo Geral da Companhia, Padre Arrupe que, segundo se afirma, "teve a intenção de fortalecer a Companhia a partir das suas origens".

Francisco falou durante a Audiência recordando as origens dos jesuítas segundo a Fórmula do Instituto de 1550: "os jesuítas se dedicariam à defesa e a propagação da fé e à salvação das almas na vida e doutrina cristã" e "encontrar os desventurados, socorrer misericordiosamente e ajudar os que estão nos cárceres e nos hospitais, e praticar todas as obras de caridade".

O Papa disse, a propósito da Formula do Instituto que "Estas palavras não eram uma declaração de intenções, mas um modo de vida que já tinham provado, que lhes dava consolo por isso sentiam-se enviados pelo Senhor".

Francisco comentou que "Padre Arrupe sempre acreditou que o serviço à fé e à promoção da justiça não poderiam se separar, porque estão radicalmente unidos. E o que até então tinha sido uma virtude de alguns jesuítas, deveria se converter em uma preocupação de todos "

Encontro com os necessitados fortalece a Fé

O Pontífice lembrou aos jesuítas que "nos pobres, vocês encontram um lugar privilegiado de encontro com Cristo. E isso é um precioso presente na vida dos seguidores de Jesus: receber o dom de se encontrar com Ele entre as vítimas e os miseráveis". 

Para o Papa, "o encontro com Cristo entre os seus favoritos fortalece nossa fé".

Situação do mundo

O Pontífice falou sobre a situação do mundo de hoje com suas injustiças e dores dos homens, recordando também que "subsiste o tráfico de pessoas, aumentam episódios de xenofobia e a busca egoísta do interesse nacional, a desigualdade entre os países e também dentro dos mesmos aumentam sem que se encontrem soluções".

Para Francisco, "o apostolado social não serve para resolver problemas, mas para promover processos e incentivar a esperança."

Desafio

O Papa desafiou os jesuítas a abrir um novo futuro, para que se "criem possibilidades, gerem alternativas, ajudem a pensar e agir de uma maneira diferente", fazendo dos pobres "um local privilegiado de encontro com Cristo".

(JSG)