Paquistão: Jovem morto defendendo Igreja pode ser declarado mártir

 

Islamabad - Paquistão (Sexta-feira, 08-11-2019, Gaudium Press) O jovem Akash Bashir tinha 20 anos quando foi morto.
Akash era ex-aluno dos padres salesianos e havia estudado na escola "Dom Bosco" que fica em Lahore, no Paquistão.

Paquistão- Jovem morto defendendo Igreja pode ser declarado mártir-Foto ASN.jpg

Ele foi morto ao tentar evitar que sua Igreja sofresse um atentado promovido por muçulmanos no dia 15 de março de 2015.

Tendo passa cinco anos de seu martírio, a memória de seu ato heroico em defesa da Fé continua viva em Youhannabad, no Paquistão.

Sua memória espalha-se para além da fronteira do Paquistão e chega a lugares distantes em todo o mundo.

É por isso mesmo que a Arquidiocese de Lahore e os Salesianos do Paquistão começaram a recolher testemunhos sobre a vida do jovem Akash que foi morto por ódio à Fé.

Até o momento, mais de vinte testemunhos já foram recolhidos sendo que, entre eles, alguns são de não católicos que conviveram ele.

Testemunhos para o pedido de abertura da Causa do Martírio

Em janeiro de 2017, Pe. Francis Gulzar, pároco da comunidade de Youhannabad, enviou uma carta ao Arcebispo de Lahore, Dom Francis Shaw, solicitando a abertura da causa do martírio do jovem.

Pe. Gulzar testemunha que "Akash tinha um grande amor por sua Igreja e, com o poder do Espírito Santo, não pensou em salvar sua própria vida. Akash morreu nesse momento, mas salvou muitos fiéis com esse ato de coragem".

Entre os depoimentos já recolhidos, destacam-se os daqueles que presenciaram sua morte e ouviram ele dizer ao terrorista que pretendia explodir as bombas dentro do templo católico:

"Morrerei, mas não vou deixar você entrar na igreja".

Os que o conheciam não titubeiam em afirmar: "Akash nos precedeu e nos mostrou o caminho para a vida eterna.

Oração pela Causa do martírio

De acordo com a ANS, Agência Salesiana de Notícias, "o exemplo luminoso de Akash continua se espalhando pelo mundo".

A oração pela causa do martírio de Akash já foi composta e nela se recorda sua "fé forte, esperança inabalável e zelo incansável. Um modelo brilhante para outros jovens e pessoas de outras religiões, no serviço inspirador aos outros e na ajuda desinteressada".

(JSG)