Origem da benção de São Brás

 

Redação (Segunda-feira, 03-02-2020, Gaudium Press) São Brás viveu entre o séculos III e IV, 264 a 316 dC, na Armênia é um Santo Católico que foi médico e bispo de Sebaste, na Armênia. Foi morto por ódio à Fé.

São Brás era conhecido por suas virtudes e por obter curas milagrosas com sua intercessão.

 

Origem da benção de São Brás-Foto Arquivo Gaudium Press.jpg
Uma pobre mulher aflita e desconsolada,
cheia de confiança ajoelhou-se aos pés de São Brás
apresentando-lhe seu filho que agonizava.
Foto: Arquivo Gaudium Press.

Quando correu a notícia de que o Santo Bispo se dirigia para a cidade de Sebaste, os caminhos encheram-se de gente dos mais variados níveis.

Até mesmo pagãos corriam para receber sua bênção e ser aliviado de seus males.

Uma pobre mulher aflita e desconsolada irrompeu como podia por entre a multidão, e cheia de confiança ajoelhou-se aos pés de São Brás apresentando-lhe um de seus filhos que agonizava devido a uma espinha de peixe que lhe atravessara a garganta e o asfixiava sem qualquer possibilidade de socorro humano.

Compadecido do lamentável estado do filho e do sofrimento da mãe, o piedoso Bispo levantou os olhos e as mãos ao céu, fazendo esta fervorosa prece:

"Senhor meu, Pai de misericórdia e Deus de todo consolo, dignai-Vos ouvir a humilde prece de vosso servo e restituí a este menino a saúde, para que todo mundo reconheça que só Vós sois o Senhor da morte e da vida.

E já que sois o Deus soberano, misericordiosamente liberal para quem invoca vosso santo Nome, suplico-Vos humildemente que todos os que doravante recorrerem a mim para conseguir de Vós, pela intercessão deste vosso servo, a cura de semelhantes moléstias, sintam o efeito de sua confiança e sejam benignamente ouvidos e favoravelmente atendidos".

Mal acabara São Brás sua fervorosa, humilde e confiante oração, o menino expeliu a espinha e ficou totalmente curado.

Este fato é a origem da particular devoção dos fiéis a São Brás, no que diz respeito aos males de garganta.

 

(Fonte: CROISSET, SJ, Jean. Año Cristiano. Paris: Librería de Rosa y Bouret, 1864, t.II, p.60-61)