Nossa Senhora de Lourdes, as Aparições e uma Oração

 

Nossa Senhora de Lourdes, as Aparições e uma Oração-Foto Gaudium Press.jpg

Redação (Terça-feira, 11-02-2020, Gaudium Press) Em 11 de fevereiro de 1858, na vila francesa de Lourdes, às margens do rio Gave, a Virgem Santíssima manifestou seu profundo amor para conosco, aparecendo a uma menina de 14 anos, chamada Bernadete (Bernardita) Soubirous.

Início da História

A história da aparição começa quando Bernadete, que nasceu em 7 de janeiro de 1844, saiu, junto com duas amigas, em busca de lenha na Pedra de Masabielle.

Para isso, tinha que atravessar um pequeno rio, mas como Bernadete sofria de asma, não podia entrar na água fria, e as águas daquele riacho estavam muitas geladas. Ela, então, ficou de um lado do rio, enquanto as duas companheiras iam buscar a lenha.

Foi nesse momento, que Nossa Senhora aparece a Bernadete. E assim ela nos conta: "senti um forte vento que me obrigou a levantar a cabeça.

Voltei a olhar e vi que os ramos de espinhos que rodeavam a gruta da pedra de Masabielle estavam se mexendo.

Nesse momento apareceu na gruta uma belíssima Senhora, tão formosa, que ao vê-la uma vez, dá vontade de morrer, tal o desejo de voltar a vê-la".

Como era aquela Senhora

Bernardete continua narrando os fatos:

"Ela vinha toda vestida de branco, com um cinto azul, um rosário entre seus dedos e uma rosa dourada em cada pé.
Saudou-me inclinando a cabeça. Eu, achando que estava sonhando, esfreguei os olhos; mas levantando a vista vi novamente a bela Senhora que me sorria e me pedia que me aproximasse.
Mas eu não me atrevia. Não que tivesse medo, porque quando alguém tem medo foge, e eu teria ficado ali olhando-a toda a vida.

Então tive a ideia de rezar e tirei o rosário. Ajoelhei-me.

Vi que a Senhora se persignava ao mesmo tempo em que eu.
Enquanto ia passando as contas ela escutava as Ave-marias sem dizer nada, mas passando também por suas mãos as contas do rosário.
E quando eu dizia o Glória ao Pai, Ela o dizia também, inclinando um pouco a cabeça. Terminando o rosário, sorriu para mim outra vez e retrocedendo para as sombras da gruta, desapareceu".

A volta à Gruta e o convite

Em poucos dias, a Virgem volta a aparecer a Bernadete na mesma gruta.

Entretanto, quando sua mãe soube disso não gostou, porque pensava que sua filha estava inventando histórias - embora a verdade é que Bernadete não dizia mentiras -, ao mesmo tempo alguns pensavam que se tratava de uma alma do purgatório, e Bernadete ficou proibida de voltar à gruta Masabielle.

Apesar da proibição, muitos amigos de Bernadete pediam que voltasse à gruta; com isso, sua mãe disse que se consultasse com seu pai.

O senhor Soubiruos, depois de pensar e duvidar, permitiu que ela voltasse em 18 de fevereiro.

Desta vez, Bernadete foi acompanhada por várias pessoas, que com terços e água benta esperavam esclarecer e confirmar o narrado.

Ao chegar todos os presentes começaram a rezar o rosário; é neste momento que Nossa Senhora aparece pela terceira vez.

Bernadete narra assim a aparição:

"Quando estávamos rezando o terceiro mistério, a mesma Senhora vestida de branco fez-se presente como na vez anterior.
Eu exclamei: ‘Aí está'.
Mas os demais não a viam. Então uma vizinha me deu água benta e eu lancei algumas gotas na visão. A Senhora sorriu e fez o sinal da cruz.

Disse-lhe: ‘Se vieres da parte de Deus, aproxima-te'. Ela deu um passo adiante".

Em seguida, a Virgem disse a Bernadete:
"Venha aqui durante quinze dias seguidos". A menina prometeu que sim e a Senhora expressou-lhe "Eu te prometo que serás muito feliz, não neste mundo, mas no outro".

Depois deste intenso momento que cobriu a todos os presentes, a notícia das aparições correu por todo o povoado, e muitos iam à gruta crendo no ocorrido embora outros zombassem disso.

Entre os dias 11 de fevereiro e 16 de julho de 1858 houve 18 aparições.

Estas se caracterizaram pela sobriedade das palavras da Virgem, e pela aparição de uma fonte de água que brotou inesperadamente junto ao lugar das aparições e que deste então é um lugar de referência de inúmeros milagres constatados por homens de ciência.

Oração a Nossa Senhora de Lourdes

Ó Maria, Vós aparecestes a Bernadete na cavidade de um rochedo.
No frio e nas sombras do inverno, Vós trazíeis o calor de vossa presença, a luz e a beleza.

No vazio de nossas vidas, tantas vezes obscuras, no fundo deste mundo no qual o mal é poderoso, trazei a esperança, restabelecei a confiança!

Vós, que sois a Imaculada Conceição, vinde em auxílio destes pecadores que somos nós.

Dai-nos a humildade da conversão, a coragem da penitência.
Ensinai-nos a rezar por todos os homens.
Guiai-nos até as fontes da verdadeira vida.

Fazei de nós peregrinos em marcha dentro de vossa Igreja. Incrementai em nós a fome da Eucaristia, o alimento nesta terra, o pão da vida.

Em Vós, ó Maria, o Espírito Santo operou maravilhas: por seu poder, Ele vos colocou junto ao Pai, na glória de vosso Filho, vivo para sempre.

Considerai com ternura as misérias de nossos corpos e de nossos corações.

Brilhai para todos, como uma doce luz, na hora da morte.

Com Bernadete, recorremos a Vós, ó Maria, com a simplicidade de filhos.

Fazei-nos entrar, como ela, na eterna bem-aventurança.

Então poderemos, já nesta terra, começar a sentir a alegria do Céu e, convosco, cantar: Magnificat!

Glória a Vós, Virgem Maria, ditosa serva do Senhor, Mãe de Deus, morada do Espírito Santo!

Amém!