Manuscritos do Mar Morto são apresentados em mostra polêmica no Canadá

 

Toronto (Terça, 28-07-2009, Gaudium Press) Começa hoje no Canadá uma mostra histórica sobre os Manuscritos do Mar Morto, série de documentos apócrifos datados de um período que abrange o século III A.C e o século I D.C e que trazem importantes informações sobre a realidade dos primórdios do Cristianismo. A exposição "Os Pergaminhos do Mar Morto: palavras que mudaram o mundo" foi inaugurada hoje no Museu Royal Ontário de Toronto por Dalton McGuinty, primeiro-ministro da província de Ontário, e provocou atrito com autoridades palestinas, que reclamam a posse do material.

A exposição apresenta 17 manuscritos autênticos do Mar Morto e mostra alguns dos mais famosos e mais antigos textos que se conhecem desde a Bíblia hebraica, quatro dos quais são agora expostos ao público pela primeira vez. Os pergaminhos incluem fragmentos dos livros do Gênesis, Deuteronômio e dos Salmos e algumas das expressões escritas mais antigas dos Dez Mandamentos.

A descoberta do material é considerada uma das mais significativas do século XX do ponto de vista arqueológico. Os manuscritos foram encontrados casualmente por um grupo de pastores de cabras em uma caverna em Qumram, próxima à fronteira de Israel com a Jordânia em 1947. Os textos, a maior parte pergaminhos e papiros, estavam enrolados em jarros de cerâmica e tiveram sua autenticidade comprovada em 1948. Parte do material foi vendida para um bispo ortodoxo sírio e outra parte para um rabino da Universidade Hebraica.

Após intensas disputas pela soberania dos manuscritos entre os governos palestino, jordaniano e israelense, em 1991 pesquisadores de outros países passaram finalmente a ter pleno acesso ao estudo do material e ao aprofundamento das pesquisas.

Depois de décadas de escavações, foram encontrados um total de 900 pergaminhos escritos em hebraico, aramaico e grego. Os pergaminhos do Mar Morto são considerados o mais recente documento dos patriarcas bíblicos e profetas conhecido pelo judaísmo, cristianismo e islamismo.

Biblistas e conferencistas internacionais de todo o mundo visitarão o Museu Royal para uma série de conferências em que se discutirão os manuscritos e sua importância para o diálogo inter-religioso. Além da exibição dos 17 pergaminhos fragmentados, a exposição do Museu Royal oferecerá também mais de 200 artefatos que foram encontrados com os manuscritos.

Protestos

Em abril, as autoridades palestinas protestaram formalmente como primeiro-ministro canadense Stephen Harper pela chegada dos pergaminhos ao Canadá, dizendo que foram levados de seu território sem permissão depois do ano de 1967. A exposição dos manuscritos do Mar Morto estará aberta ao público até 3 de janeiro de 2010.