“Todos os batizados são chamados a santidade”, diz Bispo de Porto Nacional (TO)

 

Porto Nacional - Tocantins (Segunda-feira, 11-06-2018, Gaudium Press) Sobre a Exortação Apostólica "Gaudete et exultate" (Alegrai-vos e exultai), que trata sobre a urgência da santidade no mundo de hoje, o bispo de Porto Nacional, Dom Romualdo Matias Kujawski, reflete acerca do documento escrito pelo Papa Francisco.

Todos os batizados são chamados a santidade, diz Bispo de Porto Nacional (TO).jpg

Segundo Dom Romualdo, em seu artigo intitulado "Todos os batizados são chamados à santidade", para tornar-se santo, no meio das pessoas no mundo de hoje, é necessário pouco. Contudo, remetendo-se à Exortação, salienta algumas observações feitas pelo Pontífice a respeito dos inimigos da santidade de hoje.

O primeiro inimigo seria o "subjetivismo" e "gnosticismo", que se manifestam nas atitudes e que descartam o mistério na fé. O segundo, conforme o bispo, é o chamado "pelagianismo", criado através da rejeição da graça na vida de cada um.

"Neste sentido, as estruturas da Igreja começam a escravizar, ao invés de nos levar à paz e à liberdade. Não podemos nos esquecer de que sempre o primeiro e o último passo pertencem a Deus", afirma.

O bispo de Porto Nacional ainda menciona alguns atributos que podem proporcionar a leveza no caminho à santidade e que estão direcionados ao comportamento humano:

"O Papa destaca a importância de fidelidade ao Mestre, nas obras da misericórdia para com o próximo, na rejeição das ideologias e do hedonismo. A Igreja Católica oferece, também, a força moral através do testemunho dos santos (nº 109), os de toda a história, bem como os de nosso tempo".

Para Dom Romualdo, o santo no mundo atual deve ser uma pessoa que tem a coragem de abrir o seu coração a Jesus, lançando fora o mau humor e a tristeza. "Ela suporta os problemas com paciência e mansidão, e com a virtude de humildade adquire a fortaleza, por meio das humilhações e até mesmo das difamações midiáticas", lembra.

"A espera da vinda definitiva de Jesus e de sua Vitória deve motivar a pessoa para sua atuação na Comunidade dos Batizados, à oração contemplativa, ao não isolamento com os outros, andando sempre na presença de Deus. Neste contexto, a abertura ao Espírito Santo, que nos concede os dons da Sabedoria e Discernimento, a vivência dos Sacramentos, de um modo particular a Eucaristia e Penitência, a leitura da Bíblia, a adoração ao Santíssimo Sacramento, se tornam um poderoso combustível espiritual para nosso dia-a-dia", completa.

No final do artigo, o prelado aconselha a leitura da Exortação Apostólica do Pontífice. "Sejamos como Marta e Maria, irmãs de Lázaro, que conseguiram submeter-se às palavras do Jesus. Espero que as palavras de nosso papa nos levem a refletir sobre a necessidade da santidade em nossos dias, como algo possível", conclui. (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações da CNBB