Catedral Basílica de Salvador reabrirá suas portas após restauros

 

Salvador - Bahia (Quinta-feira, 13-09-2018, Gaudium Press) Declarado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) como Patrimônio Cultural Mundial, o Centro Histórico de Salvador, na Bahia, reabrirá as portas de sua Catedral Basílica, considerada símbolo da arte sacra e da arquitetura religiosa no Brasil.

 Catedral Basílica de Salvador reabrirá suas portas após restauros
Foto: Mateus Morbeck

Para celebrar este momento, uma solenidade em 14 de setembro próximo marcará a entrega da obra de restauração do templo, visto como uma das mais importantes construções sacras do Brasil Colonial.

Além de ser parte da história do catolicismo no país, a igreja possui um acervo com telas de diversos autores seiscentistas, móveis em jacarandá e vários objetos sacros em ouro e prata.

A restauração contemplou bens integrados, como as imagens sacras, bem como a requalificação dos espaços internos e diversos outros serviços de conservação do monumento.

Entre os destaques da intervenção estão o restauro das treze capelas, incluindo toda a imaginária sacra, do átrio, de toda a fachada principal em cantaria e das torres de azulejos.

A obra de restauração foi executada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), com o apoio da Arquidiocese de São Salvador da Bahia, da Prefeitura Municipal de Salvador e do Governo do Estado da Bahia.

Tesouros

Durante os restauros, foram encontrados diversos tesouros guardados há séculos, como pinturas originais nas paredes e peças sacras, que revelaram quadros com imagens de santos jesuítas escurecidos pelo tempo e até purpurina nas áreas revestidas de ouro.

Na capela do Santíssimo, foram recuperados diversos elementos com folhas de prata, que estavam encobertas por camadas de repintura.

O altar-mor, fechado por anos, devido a uma obra anterior inacabada, será reaberto após ser completamente restaurado.

Outros 30 bustos relicários das Virgens e Santos Mártires retornam à igreja, depois de mais de 15 anos sob a guarda do Museu de Arte Sacra, que agora os devolveu restaurados.

Vale ressaltar que a obra também permitiu que a Basílica de Salvador se renovasse, com a instalação de modernos equipamentos de sonorização, sistema de prevenção e combate a incêndio e segurança patrimonial. (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações da Arquidiocese de Salvador