"Nós cristãos acreditamos em um só Deus, não em um Deus solitário", diz Padre Cantalamessa

 

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 14-12-2018, Gaudium Press) Na manhã desta sexta-feira, 14, o pregador oficial da Casa Pontifícia, Padre Raniero Cantalamessa, ministrou sua segunda meditação de Advento diante do Papa e da Cúria Romana reunidos na Capela Redemptoris Mater no Vaticano.

Nós cristãos acreditamos em um só Deus, não em um Deus solitário, diz Padre Cantalamessa 1.jpeg

Comentando o Salmo: 'A minha alma tem sede do Deus vivo!', tema das pregações deste ano, o Capuchinho ressaltou que "os homens do nosso tempo buscam, com insistência, sinais da existência de seres vivos e inteligentes em outros planetas, mas poucos se esforçam em descobrir sinais da existência do Ser vivo por excelência, que criou o universo, que entrou na nossa história e vive conosco".

Pelo fato de na Igreja estarmos sempre atarefados, com problemas para resolver e desafios para se superar, "corremos o risco de perder de vista a nossa relação pessoal com Deus".

O Pregador explicou também que o Deus vivo, a quem nós cristãos recorremos, não é simplesmente a primeira pessoa divina, 'Deus Pai'. O Pai gera o Filho e, com ele, exala o Espírito, comunicando-lhes toda a sua divindade. Esse é o Deus da comunhão e do amor, no qual unidade e trindade procedem da mesma raiz e do mesmo ato; um não existe sem o outro e nenhum é superior ao outro.

Cantalamessa destacou que "o Deus vivo dos cristãos é a Trindade viva: Deus é amor, Deus é trindade! Nisto encontramos a resposta da revelação dada pela Igreja: Deus é amor desde sempre, com o Verbo, o qual amava com amor infinito no Espírito Santo. Nós cristãos acreditamos em um só Deus, não em um Deus solitário!".

Nós cristãos acreditamos em um só Deus, não em um Deus solitário, diz Padre Cantalamessa 2.jpeg

O dogma da unidade e trindade de Deus é expresso na frase: 'Sejam um, como nós somos um'. Segundo o sacerdote, todos desejamos a unidade do fundo do coração. "A Trindade nos mostra o verdadeiro caminho para a unidade, segundo as palavras de Cristo: 'Eu estou no Pai e o Pai está em mim'. O Filho nos ensina a gritar Abba, Pai! O Espírito Santo nos ensina a clamar: 'Jesus é o Senhor! E a invocar': Maranathà, 'Vem, Senhor Jesus'".

Segundo o pregador da Casa Pontifícia, contemplar a Trindade nos ajuda a vencer a odiosa discórdia do mundo. O primeiro milagre que o Espírito fez em Pentecostes foi fazer dos discípulos um só coração e uma só alma.

"O que mais nos torna felizes, em relação à Trindade, é contemplá-la, imitá-la e entrar nela! Não podemos abraçar o oceano, mas podemos entrar nele. Da mesma forma, não podemos abraçar o mistério da Trindade, mas podemos entrar nele, através da Eucaristia. Na comunhão realiza-se o significado da palavra de Cristo: "Quem me vê, vê o Pai, quem me recebe, recebe o Pai'", ensinou.

Concluindo sua segunda pregação de Advento, o Padre Raniero Cantalamessa, enfatizou que "a Trindade não é apenas um mistério da nossa Fé, mas uma realidade viva e palpitante: o Deus vivo, a Trindade viva!". (EPC)