Maior presépio da América Latina é exibido no Equador

 

Cuenca - Equador (Sexta-feira, 14-12-2018, Gaudium Press) A Catedral da Imaculada Conceição de Cuenca, no Equador, inaugurou no último dia 23 de novembro o maior presépio da América Latina.

Maior presépio da América Latina é exibido no Equador

Apresentado pelo Arcebispo Dom Marcos Pérez Caicedo, trata-se de uma obra ecológica de 280 metros de construção, composta por 1,5 mil figuras, das quais 600 tem movimento. Este ano, transmite como lema "A Sagrada Família, oásis de amor e esperança para o mundo", um pedido do Papa Francisco para a proteção das famílias.

Maior presépio da América Latina é exibido no Equador

Confeccionada com materiais como gesso, espuma e compostos químicos, dando um aspecto rústico e desértico, características daquela época, foi elaborado pelas mãos de oito artesãos da cidade de Loja, que trabalharam aproximadamente 15 dias sob a direção do Padre Jimmy Arias, idealizador e mentor do grande presépio ecológico e responsável por trazer as peças da Europa.

Maior presépio da América Latina é exibido no Equador

O presépio foi inspirado em casas e demais detalhes da época, além de passagens bíblicas que narram o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo. E em cada uma delas, há uma catequese explicando os episódios relacionados àquele período.

Além disso, as edificações são embasadas em registros arqueológicos que mostram, por exemplo, como era o palácio de Herodes e as demais construções hebreias e romanas.

Maior presépio da América Latina é exibido no Equador

O aspecto físico também está em sintonia com as luzes, assim como os efeitos sonoros que simulam os barulhos do rio, das nuvens e da neve, fazendo com que o público sintonize-se com aquele ambiente em todos os sentidos, compreendendo melhor o mistério do nascimento de Jesus.

Maior presépio da América Latina é exibido no Equador

Com o sucesso do presépio, houve convites para que fosse levado para outras cidades como Quito e Guayaquil, por exemplo. Em sua permanência em Loja, a construção foi visitada anualmente por 150 mil pessoas, sendo a maioria vinda da província de Azuay. Por esse motivo, foi levado para a cidade de Cuenca, onde permanece para visitação até o dia 6 de janeiro de 2019. (LMI)

Da redação Gaudium Press, com informações da Aleteia e Secretaria de Comunicação da Arquidiocese de Cuenca